fbpx

Siba e Juçara Marçal

#Afetos

No dia 28 de outubro, quinta-feira, 19h, o cantor Siba e a cantora Juçara Marçal se reúnem no Instagram Casa Natura Musical para participar do projeto Afetos, uma conversa virtual de camarim idealizada pela Casa Natura Musical. No bate-papo, os artistas relembram suas parcerias, como a de Siba no disco recém-lançado de Juçara Marçal (“Delta Estácio Blues”, 2021, com apoio de Natura Musical) na composição de “Vi de Relance a Coroa” e também de um show histórico de 2015 que reuniu a banda Metá Metá, da qual Juçara é vocalista, com Siba no Circo Voador (RJ).

Durante a conversa, os artistas também falam sobre seus trabalhos mais recentes – Siba com “Coruja Muda” (2019), que reúne participação de artistas como Edgar, Alessandra Leão e Chico César; e Juçara com “Delta Estácio Blues”, que a fez concorrer ao Prêmio Multishow 2021 nas categorias Canção do Ano (Crash) e Álbum do Ano.

Siba 

Recifense, Siba cresceu entre a cidade e o interior, dois mundos que fazem parte de um mesmo todo. Desde seus primeiros contatos com as tradições da Mata Norte, começou uma longa história de aprendizado e colaboração, exercitando ao longo dos anos os fundamentos da poesia ritmada para se tornar um dos principais mestres da nova geração do maracatu e dos cirandeiros. Ao mesmo tempo, como membro da banda Mestre Ambrósio, desenvolveu um estilo musical inovador e singular. 

Em 2002, depois de morar em São Paulo por sete anos, formou o grupo Fuloresta, formado por músicos tradicionais de Nazaré da Mata, Zona da Mata Norte de Pernambuco. O álbum de estreia, “Fuloresta do Samba”, foi lançado em 2003. “Toda vez que eu dou um passo / O mundo sai do lugar” foi o segundo lançamento de Siba e da Fuloresta.

Em janeiro de 2012, Siba gravou seu primeiro disco solo, “Avante”, que foi muito aclamado pela crítica.  Em 2015, lançou “De Baile Solto” e em 2019 , Siba lançou, em parceria com a EAEO, o disco “Coruja Muda”.  De lá pra cá, o artista mantém sua editora Mata Norte, que edita suas obras e de alguns artistas, como Mestre Anderson Miguel e Mestre Barachinha

Juçara Marçal

Cantora do grupo Metá Metá, já integrou os grupos Vésper Vocal, A Barca e Ilu Obá De Min. Lançou, em 2014, o disco solo “Encarnado”. O álbum ganhou o Prêmio APCA – Melhor Álbum de 2014, Prêmio Governador do Estado – Melhor Álbum – Voto do Júri, e Prêmio Multishow de Música Compartilhada, entre outros. Em 2015, lançou “Anganga” em parceria com Cadu Tenório, músico e experimentador carioca. Em 2017, com Rodrigo Campos e Gui Amabis, lançou o disco “Sambas do Absurdo”, inspirado no livro de Albert Camus, “O mito de Sísifo”. Desde 2018 realiza, ao lado de Kiko Dinucci e Thais Nicodemo, o show Brigitte Fontaine, em que canta em francês repertório dessa artista. Em fevereiro de 2019, Juçara Marçal estreou como atriz na peça Gota d’água {Preta}, montagem do clássico de Chico Buarque e Paulo Pontes, com elenco majoritariamente negro.

Seu segundo disco solo, “Delta Estácio Blues” (2021), foi construído pela cantora a partir de colagens sonoras (sintetizadores, programações, samplers e texturas), para depois compor as canções. Realizado apenas com material inédito, o disco tem forte presença de Juçara como compositora em todas as etapas e processos de criação: nas colagens eletrônicas que levaram às bases das músicas, nas letras e poesias e nas variações e investigações que realiza sobre o próprio canto e voz. 

O álbum aborda a música eletrônica fora dos clichês e gêneros já conhecidos, propondo novos cenários, investigações rítmicas e buscando um diálogo com o pop, sem deixar de lado a inquietude e a ligação estreita com a música brasileira. Se em Encarnado o clima era de tensão, aridez; agora Juçara procura criar novas edificações a partir de lascas, destroços, restos e cacofonias.

Siba e Juçara Marçal #Afetos 

Quando: 28.10 | qui | 19h

Onde? Instagram @casanaturamusical

– Fotos do Evento