fbpx

Ouça a Playlist: Macumba Popular Brasileira

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Os Tincoãs. Foto: Divulgação

É impossível falar de música no Brasil sem considerar a influência das religiões de matrizes africanas e ameríndias na sua formação. Da estrutura rítmica às temáticas, a música nascida nos terreiros dá forma à música brasileira no geral de uma maneira muito ampla, desde da música da rua e da tradição acadêmica até à do mercado fonográfico.

Apesar de um dos mais importantes frutos dos cultos dessa matriz na música urbana ser o samba, o “herdeiro dos batuques do século XVIII e XIX”, as influências das tradições de religiões afro-brasileiras foram, com o passar do tempo, se diluindo e permeando os mais diversos gêneros da música popular brasileira, aparecendo na MPB, no indie, no funk, no rap, entre outros.

Banden Powell e Vinícius de Moraes, que gravaram o disco Os Afro-sambas, de 1966

Quem já ouviu algum disco de Caetano Veloso, Maria Bethânia, Jorge Ben, Os Tincoãs, Gilberto Gil, Baden Powell e até de artistas mais recentes como Metá Metá, MC Tha e Luiza Lian, por exemplo, já deve ter se deparado, muitas vezes sem saber, com ritmos como ijexá e aguerê. Iansã, Iemanjá, Oxum, Exu e outros orixás, também fazem parte do imaginário do cancioneiro nacional desde sempre.

Em 2019, a compositora, cantora e percussionista Alessandra Leão lançou seu quinto disco, Macumbas e Catimbós, no qual explora mais diretamente temas tradicionais da Jurema, Candomblé e Umbanda. Indicado ao Grammy Latino, o álbum tem como formação instrumental voz e um trio de ilús (tambores usados nos terreiros de Pernambuco).

“Essas religiões de matriz africana e indígena têm uma relação bastante singular com a música, porque nelas a música nunca tem um papel secundário nos rituais e celebrações. É a música que conduz e sustenta a maior parte dos trabalhos, sendo fundamental para o transe, para a conexão e comunicação com o sagrado”, explica Alessandra no texto de divulgação sobre o disco. “Para além dos rituais, a ‘música de terreiro’ é de suma importância na formação cultural do Brasil, tanto quando se apresenta de maneira mais próxima à realizada nos terreiros, quanto quando influencia outros gêneros musicais, seja por meio dos ritmos ou de caminhos melódicos e poéticos.”

Montamos uma playlist especial só com músicas com influenciadas direta e indiretamente pelos ritmos dos terreiros. Tem Metá Metá, Maria Bethânia, Luiza Lian, Serena Assumpção e mais.

Ouça no Spotify, Deezer ou YouTube Music.

#NosEncontramosNaMúsica

+ comunicado importante

A hora do reencontro tá chegando! 🧡 Para que o nosso retorno aconteça da maneira mais segura possível, vamos precisar da colaboração de cada um de vocês. Somente com muito cuidado e responsabilidade coletiva, poderemos voltar a nos encontrar na música.

Venha pra Casa com seu comprovante de vacina atualizado e de máscara PFF2, N95 ou cirúrgica. Se estiver com sintomas, ainda que leves, perto da data do show, deixe pra vir nos visitar outro dia.

Seguindo as recomendações das autoridades de saúde, montamos um guia com os principais protocolos que usaremos para receber vocês nos shows na Casa a partir de 2 de fevereiro.

👉 PROTOCOLOS

1º) Comprovante de vacinação atualizado com no mínimo duas doses


Pode ser físico ou virtual. O importante é que esteja em dia. Se atente à data da sua 3ª dose no site www.vacinaja.sp.gov.br ou no canal de comunicação da prefeitura da sua cidade.

2º) Uso de máscara durante a permanência na Casa

Obrigatório. E a entrada só será permitida com máscaras N-95/PFF2 sem filtro ou máscaras cirúrgicas. Máscaras de pano, de plástico, bandanas e outros adereços semelhantes não serão aceitos.

*Importante: Por sermos um local majoritariamente fechado, a retirada da máscara só será permitida para o consumo pontual de bebidas. Não haverá comidinhas na Casa.

3º) Lotação reduzida

Estamos disponibilizando menos ingressos à venda, para aumentar o distanciamento social e garantir uma noite mais segura.

4°) Artistas e equipes previamente testades

E toda a equipe trabalhará com máscaras N-95/PFF2, com exceção des artistas que estarão se apresentando.

5°) Circulação reduzida nos bastidores

Somente as equipes autorizadas poderão circular nos bastidores da Casa.

Não se preocupe: Haverá pessoas instruindo e fiscalizando os protocolos durante a sua permanência na Casa.

Importante: Se você tiver ingresso e apresentar sintomas de COVID-19, ainda que leves, ou tiver tido contato recente com alguém que testou positivo próximo à data do show, orientamos a não comparecer e a contatar o nosso atendimento via e-mail para mais informações.

Cuidem-se!