fbpx

Drill, grime, indie e o Novo Pessoal do Ceará

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Nesta terça-feira (13/04), Fortaleza, a capital do Ceará, comemora 295 anos de existência. E a trilha sonora é por nossa conta. Se liga só:

“Pessoal do Ceará” foi o nome pelo qual ficou conhecido uma série de artistas cearenses que surgiram nos anos 1970 como uma resposta à efervescência na cena artística provocada pela Tropicália baiana-carioca e pelo Clube da Esquina mineiro alguns anos antes. Mas mais que inspirados nesses movimentos, o grupo cearense, formado por artistas como Belchior, Fagner, Amelinha, Fausto Nilo e Ednardo, também se colocou como um contraponto à hegemonia do eixo Bahia-Rio de Janeiro no cânone da Música Popular Brasileira. ⠀

Nesta playlist, a gente pega emprestado esse termo para apresentar artistas novos (e outros já veteranos) que estão se destacando no cenário musical nacional. A nossa seleção passeia especialmente pela cena de grime, drill e trap que vêm se estruturando na capital Fortaleza — ou 4town (“Fortal”), na linguagem dos MC’s da região —, com destaque para os rappers Bakkari e o single “Chuva de Dinheiro”, Doiston e o EP “Foi Sal” e o fenômeno do trap nacional Matuê com o disco “Máquina do Tempo”. Também selecionamos faixas dos trabalhos solos de dois veteranos do rap de Fortaleza: Don L e Nego Gallo, que nos anos 2000 integravam o lendário grupo Costa a Costa, uma das principais referências locais para a nova geração. ⠀

Nossa playlist também traz artistas de outras vertentes musicais, como o Mateus Fazeno Rock, que lançou seu ótimo disco de estreia em 2020, e outros nomes da cena underground cearense, como Rebeca MacêdoEmiciomarMaquinasMumu e Jonnata Doll. ⠀

Ouça no seu player preferido clicando aqui:


+ comunicado importante

A hora do reencontro tá chegando! 🧡 Para que o nosso retorno aconteça da maneira mais segura possível, vamos precisar da colaboração de cada um de vocês. Somente com muito cuidado e responsabilidade coletiva, poderemos voltar a nos encontrar na música.

Venha pra Casa com seu comprovante de vacina atualizado e de máscara PFF2, N95 ou cirúrgica. Se estiver com sintomas, ainda que leves, perto da data do show, deixe pra vir nos visitar outro dia.

Seguindo as recomendações das autoridades de saúde, montamos um guia com os principais protocolos que usaremos para receber vocês nos shows na Casa a partir de 2 de fevereiro.

👉 PROTOCOLOS

1º) Comprovante de vacinação atualizado com no mínimo duas doses


Pode ser físico ou virtual. O importante é que esteja em dia. Se atente à data da sua 3ª dose no site www.vacinaja.sp.gov.br ou no canal de comunicação da prefeitura da sua cidade.

2º) Uso de máscara durante a permanência na Casa

Obrigatório. E a entrada só será permitida com máscaras N-95/PFF2 sem filtro ou máscaras cirúrgicas. Máscaras de pano, de plástico, bandanas e outros adereços semelhantes não serão aceitos.

*Importante: Por sermos um local majoritariamente fechado, a retirada da máscara só será permitida para o consumo pontual de bebidas. Não haverá comidinhas na Casa.

3º) Lotação reduzida

Estamos disponibilizando menos ingressos à venda, para aumentar o distanciamento social e garantir uma noite mais segura.

4°) Artistas e equipes previamente testades

E toda a equipe trabalhará com máscaras N-95/PFF2, com exceção des artistas que estarão se apresentando.

5°) Circulação reduzida nos bastidores

Somente as equipes autorizadas poderão circular nos bastidores da Casa.

Não se preocupe: Haverá pessoas instruindo e fiscalizando os protocolos durante a sua permanência na Casa.

Importante: Se você tiver ingresso e apresentar sintomas de COVID-19, ainda que leves, ou tiver tido contato recente com alguém que testou positivo próximo à data do show, orientamos a não comparecer e a contatar o nosso atendimento via e-mail para mais informações.

Cuidem-se!