fbpx

Faixa-a-Faixa: Scalene – Respiro

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Foto: Divulgação/Breno Galtier

Na 15ª edição da nossa newsletter, a gente fez um faixa-a-faixa de Respiro, novo disco da Scalene. Ousando na sonoridade, o disco reúne um pouco de MPB, música eletrônica, R&B, entre outras influências, mas sob uma perspectiva que condiz com o caminho traçado pela banda brasiliense, que começou a trajetória no stoner rock.

Leia o faixa-a-faixa abaixo:

1. Vai Ver part. Hamilton de Hollanda

“A gente escolheu essa música para abrir o disco por ela começar de um jeito mais calmo, com uma letra mais abrangente e humanista. Cumpre uma função massa de mostrar várias facetas novas que o disco tem em relação aos nossos trabalhos anteriores, como beats eletrônicos em cima de instrumentos acústicos e da participação do Hamilton no bandolim. Ela começou como um sambinha no violão e o beat entrou para deixá-la mais com a nossa cara.”

“A letra é uma utopia existencial. É um pouco uma reflexão sobre encarar um sistema de realidade, ilusões que criamos para nos ajudar a lidar com a vida real”.

2. Tabuleiro

“Foi bem inspirada no momento que a gente vive. Tem um viés otimista, de encarar o mal escancarado e perceber o que ele está te ensinando. Essa música traz uma urgência, mas também uma calma, pois não adianta se desesperar. Ela quebra a noção do herói perfeito”.

3. Casa Aberta

“A música é sobre olhar para as coisas simples, belas e singelas, para que não nos perdemos no caos que às vezes é a vida. É uma música bem adornada, com flauta, violinos, violão, synths, guitarra, mas é calminha.”

4. Esse Berro part. Ney Matogrosso

“Fizemos essa música numa sentada. A letra é sobre depressão, tentar se pensar sobre isso. A participação do Ney Matogrosso foi o encaixe perfeito, com a sua voz hiper-grave. Ney nos deu uma aula de interpretação no estúdio.”

5. Percevejo

“Começou a ser feita em Toronto, num violão velho, dos anos 1980. É o momento denso do disco, que tem muitas harmonias que a gente gosta muito, mais pesadas, mais darks, o que reitera nossa identidade. A letra é uma viagem. Uma narrativa sobre um autoconhecimento através de elementos fantásticos.”

6. Ciclo Senil

“Essa música deu trabalho. É a música que tem a bateria mais forte, diferente do restante do disco. A letra é uma crítica à hipocrisia internalizada em todos nós. Você pede mudança, mas não quer mudar também. Não é direcionado a nenhuma visão de mundo especificamente. Cada um vai enxergar a crítica que quer enxergar.”

7. Sabe O Que Foi?

“Faixa mais R&B do disco. É uma letra sincera que fala pra pessoa [com quem você tá se relacionando] que você não está pronto para ser mais uma noite. É aquela coisa num relacionamento que às vezes o egoísmo é altruísmo. E isso se confunde e se mistura. É sobre ser sincero com a pessoa com quem você está, mas ser sincero com você mesmo, ao mesmo tempo.

8. Furta-Cor part. Xênia França

“A gente acha que pode ser o nosso novo hit. Meio numa vibe R&B. O disco tem vários pontos de encontro entre o R&B e a música brasileira, intersecção que é feita pela bossa, pelo jazz. É uma faixa bem sexy. Rola um groovezinho. É uma música muito simples.

9. Ilha no Céu part. Beto Mejía

“É um sambinha. A gente usa uma tigela tibetana. Várias pessoas que ouviram falaram que é a letra mais forte do disco e fala sobre transgeracionalidade, sobre ciclos, mudanças. Também fala de uma perspectiva masculina de rever a masculinidade tóxica em vários aspectos — de relacionamentos a guerras.”

10. Assombra

“Exploramos bastante várias texturas nessa música. A letra é sobre como a verdade dói mas liberta.”

11. III e O que É Será

É uma música é um desabafo geral sobre os tempos que estamos vivendo. Várias verdades, vários instituições hoje estão caindo, estão deixando de ter a mesma relevância que tinham alguns anos atrás. Ela tem uma conotação apocalíptica, niilista e fatalista, mas também fala em manter a calma, em ser realista. Sonoramente, é uma música nostálgica.

Trechos extraídos do canal oficial da banda no YouTube. Veja os vídeos completos aqui:

Texto publicado originalmente na newsletter número #15 da Casa Natura Musical, disparada no dia 31/10/2019.

+ comunicado importante

A hora do reencontro tá chegando! 🧡 Para que o nosso retorno aconteça da maneira mais segura possível, vamos precisar da colaboração de cada um de vocês. Somente com muito cuidado e responsabilidade coletiva, poderemos voltar a nos encontrar na música.

Venha pra Casa com seu comprovante de vacina atualizado e de máscara PFF2, N95 ou cirúrgica. Se estiver com sintomas, ainda que leves, perto da data do show, deixe pra vir nos visitar outro dia.

Seguindo as recomendações das autoridades de saúde, montamos um guia com os principais protocolos que usaremos para receber vocês nos shows na Casa a partir de 2 de fevereiro.

👉 PROTOCOLOS

1º) Comprovante de vacinação atualizado com no mínimo duas doses


Pode ser físico ou virtual. O importante é que esteja em dia. Se atente à data da sua 3ª dose no site www.vacinaja.sp.gov.br ou no canal de comunicação da prefeitura da sua cidade.

2º) Uso de máscara durante a permanência na Casa

Obrigatório. E a entrada só será permitida com máscaras N-95/PFF2 sem filtro ou máscaras cirúrgicas. Máscaras de pano, de plástico, bandanas e outros adereços semelhantes não serão aceitos.

*Importante: Por sermos um local majoritariamente fechado, a retirada da máscara só será permitida para o consumo pontual de bebidas. Não haverá comidinhas na Casa.

3º) Lotação reduzida

Estamos disponibilizando menos ingressos à venda, para aumentar o distanciamento social e garantir uma noite mais segura.

4°) Artistas e equipes previamente testades

E toda a equipe trabalhará com máscaras N-95/PFF2, com exceção des artistas que estarão se apresentando.

5°) Circulação reduzida nos bastidores

Somente as equipes autorizadas poderão circular nos bastidores da Casa.

Não se preocupe: Haverá pessoas instruindo e fiscalizando os protocolos durante a sua permanência na Casa.

Importante: Se você tiver ingresso e apresentar sintomas de COVID-19, ainda que leves, ou tiver tido contato recente com alguém que testou positivo próximo à data do show, orientamos a não comparecer e a contatar o nosso atendimento via e-mail para mais informações.

Cuidem-se!